ACESSAR MEU PERFIL
CLIQUE AQUI PARA SE CADASTRAR ENTRAR COM FACEBOOK

Solicitar uma nova senha

Pode respirar aliviado: para quem é funcionário de empresa, a primeira parcela do 13º salário caiu no mês passado. Daqui a pouco, vem a segunda. Uhuu!


Caiu o 13º, UHU!
Pode comemorar. Dinheiro extra é sempre bem-vindo. Mas já parou para pensar o que vai fazer com ele?

A tentação, com dinheiro parado no banco, é começar a gastar sem refletir muito. Essa é, provavelmente, a pior escolha que você pode fazer. O 13º salário representa uma incrível oportunidade de colocar as suas contas em ordem. Quer saber como?

Separamos cinco sugestões, em ordem de prioridade, de como você pode usar esse dinheiro extra. Dá para resolver as pendências e aproveitar para consumir um pouquinho também. Confira:

Quite dívidas

Para garantir tranquilidade ao seu bolso (e à sua cabeça), qualquer renda extra deve ser usada – em primeiro lugar – para quitar eventuais dívidas, se houver. Comece pelas mais caras: cheque especial e rotativo do cartão de crédito têm os juros mais altos e, portanto, devem ser as primeiras eliminadas. Depois vem o crédito pessoal e, por último, empréstimos com juros mais baratos, como o consignado.

A vantagem de começar a “gastar” o 13º quitando dívidas é que isso abre espaço no orçamento para elaborar o seu planejamento financeiro do próximo ano. Manter o pagamento de prestações implica custos elevados com juros – e, portanto, uma folga financeira menor.

Garanta despesas obrigatórias

Se você não tem dívidas, uma boa ideia é reservar o 13º para as despesas que obrigatoriamente precisam ser pagas no início do ano seguinte. É bom lembrar que entre dezembro e março impostos e contas inadiáveis costumam se acumular – é IPTU, é IPVA, é rematrícula das crianças, é material escolar… Para passar o resto do ano sem aperto, é jogo diminuir as comemorações e garantir que esse tipo de pagamento seja feito antes de qualquer coisa.

Reserva financeira

Se você ainda não montou sua reserva financeira – aquela economia no valor de alguns meses de seus gastos– o 13º pode ser uma boa oportunidade para fazer isso. Ter uma poupança para cobrir eventualidades (como a perda inesperada do emprego ou um gasto com saúde que não estava programado) está entre os passos mais importantes para uma vida financeira saudável. Deve ser uma prioridade.

Festas e presentes

Comece a pensar em outros tipos de gastos só depois de já ter analisado suas dívidas e suas despesas obrigatórias. Com o Natal e as comemorações de Ano Novo, essa época está cheia de tentações de consumo. Uma parte do seu 13º salário pode ser reservada para bancar presentes e festas. Mas veja bem: procure estabelecer um limite para suas compras extras nesse período. Evite “torrar” tudo sem critério. Uma alternativa para fazer seu dinheiro render é aproveitar a data para realizar compras de itens que sejam efetivamente necessários para o dia a dia da família. Seu filho precisa de um computador novo? O Natal pode ser uma boa data para comprá-lo. A geladeira de casa pifou? Outro bom presente para a família.

Viagens

Quem tem férias nessa época do ano pode aproveitar o 13º para fazer uma viagem – ainda que o período das festas tenha preços mais altos de passagens e hospedagem. Por isso, em geral, recomenda-se antecipar a compra dos bilhetes. Uma boa estratégia é poupar, de pouco em pouco, ao longo do ano. Se em agosto ou setembro (bem antes do pagamento do 13º salário!) uma boa promoção aparecer, lance mão da poupança nesse momento – e use o 13º para recompor as economias assim que ele for depositado.

LEIA MAIS

Como se organizar para as contas de fim de ano.

Cinco dicas para escapar dos juros altos.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários, não expressando, assim, a opinião do Como Investir. Para mais informações, consulte os Termos e Condições de Uso.