ACESSAR MEU PERFIL
CLIQUE AQUI PARA SE CADASTRAR ENTRAR COM FACEBOOK

Solicitar uma nova senha

Você já deve ter ouvido algo do tipo: “Bolsa registra alta de 1%” ou “o Ibovespa bate 85 mil pontos”. Essa informação está em quase todos os jornais de economia e de finanças. Mas o que significa isso? O que essa pontuação tem a ver com os seus investimentos? E o Ibovespa, que bicho é esse?

Afinal, o que é Ibovespa?

Ibovespa é como chamamos o Índice Bovespa, o indicador mais importante para medir o desempenho das ações no Brasil. É como um “termômetro” do mercado de ações. Ele é calculado pela B3 (empresa que resultou da união da BM&FBovespa e da Cetip).

Do que é composto o Ibovespa?

De ações! Mas, claro, não dá para ter todas as ações dentro do índice. Então, o Ibovespa reúne a maioria dos papéis mais negociados nos últimos meses, isto é, com presença em 95% dos pregões (momento de compra e de venda de ações na bolsa) nos últimos 12 meses e com volume financeiro significativo. Em resumo, as ações que movimentaram mais dinheiro no mercado.

Qual é o objetivo do índice?

Apresentar o desempenho médio das ações de maior importância do mercado brasileiro.

O que significam os pontos do Ibovespa?

O índice é formado por ações, certo? Cada empresa tem um número de ações no Ibovespa, conforme os critérios determinados na metodologia do índice. E cada ação tem um preço. Os pontos são formados pela seguinte conta: preço de cada ação multiplicado pela quantidade de papéis dentro do índice. Por exemplo, a companhia Cielo (representada pelo código CIEL3) tem 1.118.582.207 ações na carteira teórica em determinada data. É necessário multiplicar o preço do dia desta ação, que é informado no pregão, pela quantidade de ações. Essa conta é feita com os papéis de todas as empresas. Somado tudo, temos o número e em cima desse valor, é aplicado um redutor e chegamos à pontuação do índice.

Dá para investir no Ibovespa?

O Ibovespa não é um produto de investimento, é um índice. Você não pode investir nele, já que serve como referência do mercado de ações, mas não é uma ação em específico. Mas, se quiser, pode aplicar em fundos de investimento em ações que acompanhem esse indicador.

Existem alguns fundos que buscam “imitar” a rentabilidade do Ibovespa: o gestor inclui na carteira do fundo as mesmas ações que compõem o índice. Assim, se o índice subir, a rentabilidade do fundo terá alta também, e o mesmo acontece no caso de uma queda. Também existem fundos que se arriscam mais para ter como objetivo uma rentabilidade que siga a mesma do índice, mas sempre mirando ser um pouco maior.

E tem ainda uma outra maneira de acompanhar o Ibovespa, mas é um pouco mais difícil: comprar todas as ações que compõem o índice exatamente na mesma proporção: três ações da companhia x, duas da empresa y e por aí vai. Nesse caso, você teria que mudar sua carteira toda vez que o Ibovespa mudasse também, o que acontece a cada quatro meses. Parece trabalhoso e é mesmo! =)

Por que o Ibovespa oscila tanto?

Sobe 0,20%, caí 0,10%… O Ibovespa é um indicador do mercado de ações, que você deve saber que é arriscado quanto à volatilidade. No curto prazo, os preços das ações caem e sobem, muitas vezes, de maneira abrupta. Por isso, quem deseja aplicar seu dinheiro nesses papéis deve sacar o valor investido em um prazo maior para que não seja impactado pelas oscilações, acompanhar sempre o desempenho das companhias e dos setores que elas pertencem, além, claro, de ter um perfil de investidor tolerante a risco.

Quando olhamos o resultado diário do índice nos portais, nos jornais e na televisão, temos um recorte do Ibovespa que, como outros indicadores, é impactado por diversos fatores: inflação, taxa de juros, cenário político, panorama de alguns setores da economia, entre outros. Então é comum, por exemplo, ele cair durante uma semana de escândalo político ou subir quando alguma agência de rating eleva a nota do Brasil. Para a economia e para seus investimentos, ele é um bom termômetro, mas a análise não deve ser feita apenas no curto prazo. O que isso significa? Se o índice caiu 1% hoje, não significa que o mercado de ações vai de mal a pior e que você tem que sacar seu dinheiro urgentemente.

Tenho ações. Como devo usar o Ibovespa a meu favor?

Se você tem ações, em vez de pesquisar o rendimento de outros papéis no mercado para comparar com o seu, você pode consultar o Ibovespa. É uma boa referência do que está acontecendo no mercado de ações: você poderá saber se o desempenho das suas está melhor, pior ou similar. É importante acompanhar e comparar com as demais ações do mesmo setor daquelas que você investe. Mas esta regra não se aplica a todos os casos. Existem diversos tipos de ações, como as small caps, que são papéis de empresas menores. Compará-las com grandes companhias, neste caso, não é uma boa estratégia.

Não tenho ações… O que tenho a ver com isso?

O Ibovespa é mais um indicador da economia: ele mostra o desempenho das empresas, que é um reflexo da economia. Se as companhias vão bem, significa que o país também está em um caminho de crescimento.

Ele não é o único termômetro do mercado. Há a taxa de juros, o IPCA, índice de inflação, o IMA, que é o índice de referência no mercado de renda fixa, entre outros.

Com a pontuação do Ibovespa, temos uma sensação da “temperatura” do mercado. Mesmo que você não invista em ações, o índice pode ser mais um parâmetro de como está a percepção da maior parte dos investidores em relação às companhias, aos setores que têm ações negociadas na bolsa e à economia do Brasil.

 

LEIA TAMBÉM:

Quanto custa investir em um fundo?

Gestor de fundos, um estrategista para o seu dindim

Seja o primeiro a comentar

Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários, não expressando, assim, a opinião do Como Investir. Para mais informações, consulte os Termos e Condições de Uso.