ACESSAR MEU PERFIL
CLIQUE AQUI PARA SE CADASTRAR ENTRAR COM FACEBOOK

Solicitar uma nova senha

Um dos conceitos mais importantes do universo de investimentos é a liquidez. Mas, afinal, o que é isso? Na prática, liquidez é a capacidade de um investimento ou um bem ser transformado em dinheiro. Há investimentos considerados de baixa liquidez, como um imóvel, que depende de um processo de venda que pode demorar meses ou anos antes de  chegar o dinheiro nas mãos do proprietário.

Outros investimentos, como a poupança, são altamente líquidos. Isso significa que, a qualquer momento, é possível efetuar um saque de dinheiro da caderneta. Apesar de simples à primeira vista, o conceito de liquidez é cercado de pegadinhas.

Uma delas é a que sugere que um investimento de baixa liquidez é menos atrativo do que uma aplicação de alta liquidez. Não caia nessa: em muitos casos, os investimentos de baixa liquidez podem ter prazo de vencimento mais longo e tendem a entregar rendimentos maiores. Confira a seguir um guia prático com as respostas às principais dúvidas desse importante conceito das finanças pessoais:

Qual a diferença entre baixa liquidez e alta liquidez?

Um investimento de alta liquidez é aquele cujas regras do título ou do fundo permitem o resgate do dinheiro a qualquer momento. O investimento de baixa liquidez, por outro lado, é aquele em que o investidor terá dificuldade – ou simplesmente será impossibilitado – de sacar o dinheiro antes de um prazo mínimo combinado. Nesse caso, ou o dinheiro só poderá ser resgatado após o prazo de carência ou de vencimento, ou o investidor pagará uma taxa para reaver os recursos com antecedência.

Como avaliar a liquidez de um investimento?

Basicamente, existem três prazos que devem ser levados em consideração para ajudar o investidor a investigar se um investimento tem alta ou baixa liquidez. São eles:

O que significa D+?

Fundos de investimento costumam divulgar para os investidores a combinação “D+”. O “D” significa o dia do resgate e o símbolo de adição, seguido de um número, indica a quantidade de dias úteis em que o cotista do fundo poderá resgatar o dinheiro. Assim, D+1 significa que o resgate ocorre um dia após a solicitação, D+5 significa um resgate cinco dias após o pedido e assim por diante.

Quais cuidados devo ter ao escolher um produto?

Após avaliar os prazos (de carência, de resgate e de vencimento) de um produto, é importante verificar quais são as taxas previstas em casos de saques antecipados. No caso da poupança, por exemplo, qualquer resgate efetuado antes do “aniversário” da conta (o período de 30 dias contado a partir do depósito) implica na perda da rentabilidade daquele mês. O mesmo ocorre com a maioria dos investimentos: resgates antes do prazo do vencimento significam perda da rentabilidade esperada. A dica mais preciosa é: liquidez é a facilidade de transformar um investimento em dinheiro sem perdas relevantes em seu valor.

 

Com a colaboração de Carlos Heitor Campani, especialista em Finanças e professor do Coppead/UFRJ 

Leia também:

50 fatos sobre investimento em ações  

Os juros caíram e o rendimento também. Como migrar para investimentos mais rentáveis?

 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários, não expressando, assim, a opinião do Como Investir. Para mais informações, consulte os Termos e Condições de Uso.