ACESSAR MEU PERFIL
CLIQUE AQUI PARA SE CADASTRAR ENTRAR COM FACEBOOK

Solicitar uma nova senha

Planejar as finanças é um desafio para muitos brasileiros. Mas, aos poucos, essa realidade vem mudando — principalmente pelo avanço da educação financeira no país. Diversas pessoas já estão despertando para a necessidade de controle do orçamento e da busca por cada vez mais saúde na sua relação com o dinheiro.

Ainda mais após a esse ano turbulento cheio de altos e baixos que pegou muitas pessoas desprevenidas. Para se ter uma ideia, segundo a pesquisa Raio X do Investidor, realizado pela ANBIMA no final de 2019, 62% da população brasileira não conseguiu guardar dinheiro no ano passado e entrou em 2020 sem qualquer reserva financeira.

Planejar o orçamento de maneira consciente permite que você realmente decida o que quer fazer com a própria renda. Afinal, ir pagando contas e comprando itens ao longo do mês, sem acompanhar os gastos, gera uma sensação de não saber para onde o dinheiro está indo.

Então, que tal saber mais sobre organização financeira? Confira este post para ver do que se trata, quais são as vantagens e o melhor: como fazer isso!

O que é um orçamento pessoal?

O orçamento pessoal é a ferramenta que permite que você planeje suas finanças. Ele retrata a sua situação financeira, ou seja, mostra quais são seus ganhos e gastos ao longo do mês. Dessa forma, é possível fazer previsões, analisar custos e tomar decisões mais eficientes com o próprio dinheiro.

Para montar um orçamento pessoal, você deve anotar o que recebe e o que gasta. Não somente as despesas fixas, mas as rendas extras e os gastos variáveis que acontecem no dia a dia. Assim, de uma forma leve e organizada, o orçamento fornecerá uma visão realista de como está seu padrão de consumo.

Quais as vantagens de ter um orçamento pessoal?

Ter um orçamento pessoal traz vários benefícios para sua vida financeira. O primeiro deles é organização, pois, ao anotar os seus gastos e acompanhar as movimentações na sua conta, você se torna mais consciente do que acontece com seu dinheiro. Isso evita inúmeros problemas, como gastar mais do que ganha.

Em consequência, o orçamento também é uma estratégia de prevenção contra dívidas. Quem utiliza esse recurso consegue analisar melhor sua situação, fazer gastos com mais cuidado e também se planejar para ter algum dinheiro sobrando. Com isso, tem um maior equilíbrio financeiro.

Outra grande vantagem de criar um orçamento pessoal é se aproximar da realização de seus sonhos. Afinal, diversos objetivos dependem de dinheiro — fazer uma viagem de intercâmbio, comprar um carro, adquirir a casa própria, ter tranquilidade no futuro etc. Quem organiza as finanças aumenta sua capacidade de conquistar esses objetivos.

Como planejar o meu orçamento?

Agora que já falamos o que é o orçamento e quais são as vantagens de utilizar essa ferramenta, você certamente está curioso para entender como fazer isso. Não se preocupe! Preparamos um passo a passo. Confira!

Conheça suas receitas e gastos

A primeira tarefa que você precisa realizar é identificar o quanto ganha e o quanto gasta. Isso é feito registrando suas fontes de renda e seus custos fixos. Nessa primeira etapa, já será possível ter uma noção de quanto do seu salário está comprometido com os gastos principais.

Depois, é necessário anotar também os custos variáveis, ou seja, aqueles que você faz no dia a dia e que nem sempre têm o mesmo valor, como um cinema ou restaurante ou até algum imprevisto, tipo carro quebrado etc.

Anote suas despesas

A etapa anterior funciona como um diagnóstico, oferecendo uma primeira visão do seu orçamento. Você precisa, aos poucos, desenvolver o hábito de anotar suas despesas para não perder o planejamento financeiro de vista.

Essas anotações podem ser feitas em um caderno, uma planilha de computador ou em um aplicativo. A última opção costuma ser considerada a mais prática, pois os valores podem ser anotados rapidamente no celular, mas você pode escolher a alternativa que seja mais adequada à sua rotina.

Analise os gastos por categoria

Existem dois objetivos principais no ato de registrar as despesas: promover um maior controle financeiro e permitir uma análise estratégica dos gastos. Como isso acontece? Analisando os itens por categorias.

Quem utiliza um aplicativo de finanças já conta com ajuda nesse ponto: ele organiza todos os registros em categorias. Dessa forma, você consegue avaliar quanto está gastando em transporte, alimentação, lazer etc. — isso é fundamental para controlar os gastos.

Economize dinheiro

Conhecendo o quanto gasta em cada categoria, você consegue pensar em formas de economizar e fazer sobrar mais dinheiro no final do mês. Essa é uma prática essencial para quem quer otimizar o uso da sua renda e fazer mais com menos.

Por isso, experimente avaliar seus registros do orçamento e pensar em quais gastos por ser diminuídos ou cortados. Estabelecer tetos de custos em categorias variáveis é uma estratégia interessante para aumentar a economia e montar uma reserva financeira.

Tenha metas claras

Todas essas dicas vão ajudar você a montar e acompanhar o seu orçamento, mas há uma orientação especial para quem quer manter a motivação ao longo do tempo: definir metas. Esse é um dos segredos de um bom planejamento financeiro.

A existência de metas claras facilita seu compromisso com o orçamento, pois você vai lembrar com frequência o que está buscando. Assim, vale a pena definir suas metas de economia e pensar na quantia que quer poupar mensalmente.

Use o cartão de crédito de forma inteligente

O cartão de crédito pode ser um grande aliado das suas finanças, desde que usado com inteligência. Do contrário, ele gera dívidas e desequilibra seu orçamento. E qual é o jeito correto de utilizar esse recurso?

O primeiro cuidado é não ver o crédito do cartão como uma renda extra. Você precisa ter certeza de que os gastos feitos nele cabem nos tetos que foram estabelecidos no orçamento. Em segundo lugar, evite muitos parcelamentos — eles se acumulam e podem trazer problemas.

Elimine suas dívidas

Se você costuma realizar muitas compras parceladas ou solicitar crédito ao banco (como em empréstimos ou financiamentos) é importante saber que essas práticas engessam seu orçamento e talvez gerem dificuldades.

Quem não tem dívidas pode contar com uma flexibilidade maior no planejamento financeiro. Dessa forma, está também mais preparado para lidar com imprevistos. Logo, procure quitar suas pendências se deseja usufruir desses benefícios.

Agora você sabe tudo sobre orçamento pessoal. Coloque nossas dicas em prática e tenha mais sucesso nas suas finanças. Seguindo todas essas orientações, será mais fácil fazer sobrar dinheiro e até mesmo montar uma carteira de investimentos para obter lucro com eles!

E então, o que achou deste post? Tem alguma dúvida ou quer compartilhar uma dica de planejamento financeiro? Deixe um comentário!

LEIA MAIS

Como se organizar para os gastos de fim de ano

13º salário: o que fazer com dinheiro extra?

Seja o primeiro a comentar

Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários, não expressando, assim, a opinião do Como Investir. Para mais informações, consulte os Termos e Condições de Uso.