ACESSAR MEU PERFIL
CLIQUE AQUI PARA SE CADASTRAR ENTRAR COM FACEBOOK

Solicitar uma nova senha

Falta pouco menos de dois meses para o fim deste ano. Será que ainda dá tempo de se organizar e terminar 2018 com as contas em ordem? Dá tempo, sim, mas é preciso ter disciplina, organização e começar já a mudar os hábitos.

Especialistas em finanças pessoais são unânimes: quanto antes se preparar para os gastos de fim de ano, melhor. Isso evita levar sustos com as tradicionais despesas em dezembro, como ceia de Natal, presentes etc. E não para por aí: é preciso considerar também o que vem pela frente nos primeiros meses de 2019, como matrícula escolar dos filhos, IPVA, IPTU…

Calma, não desanime. Preparamos dicas para você terminar este ano sem dor de cabeça e começar 2019 no azul.

  1. Analise sua situação financeira

O primeiro passo para não passar perrengue no fim do ano é avaliar a situação financeira, ou seja, fazer um raio-X de como estão suas finanças. Para isso, a recomendação é montar um orçamento pessoal ou familiar. Nele, você vai listar todas as fontes de renda (salário, aluguéis e outros tipos de receita) e, claro, todos os gastos (desde as despesas essenciais, como contas de luz, água, telefone etc, até despesas com lazer, por exemplo).

Para montar o orçamento, é possível usar aplicativos, planilha no computador ou um simples caderno. Independentemente da ferramenta utilizada, o mais importante é descobrir para onde o dinheiro está indo. Assim, fica mais fácil planejar os gastos de fim de ano.

  1. Corte gastos que não vão fazer falta

Com o diagnóstico em mãos, busque despesas que você possa cortar, ou seja, aqueles gastos que realmente não vão fazer falta no dia a dia. Assim, você vai abrir espaço tanto para as despesas de fim de ano, quanto para os tradicionais gastos de início de ano. Por exemplo, IPVA e IPTU podem ser pagos à vista, o que geralmente garante um desconto no valor cobrado.

  1. Tem dívidas? É hora de regularizá-las

De nada adianta montar um orçamento bonitinho e se esquecer de contas pendentes. Por isso, se você tem dívidas na praça, é fundamental identificar as condições de cada débito: para quem deve (bancos, financeiras, lojas ou mesmo amigos) e qual valor total da dívida. Lembre-se de considerar taxa de juros, encargos e multas. Para facilitar, procure o credor e peça todas essas informações antes de tentar uma renegociação.

Aqui vale a regra básica: quem tem dívidas mais salgadas (com juros nas alturas), como cheque especial e rotativo do cartão, o ideal é trocá-las por linhas de crédito mais baratas, como empréstimo pessoal ou crédito consignado (se você tiver acesso a essa modalidade, é claro).

Nos últimos meses do ano, os chamados birôs de crédito (Serasa, Boa Vista SCPC e SPC Brasil) costumam organizar feirões para que o consumidor possa renegociar dívidas e limpar o nome. Mas para que a oportunidade valha realmente a pena, busque acordos em que as parcelas caibam no seu orçamento. Em outras palavras, valores que você vai conseguir arcar todo mês.

  1. 13º pode ser um aliado

No fim do ano, muitas pessoas recebem 13º salário, bônus e gratificações. Especialistas indicam usar essa grana extra para quitar dívidas, se for seu caso. Quem não está no vermelho pode guardar o dinheiro para os gastos de fim de ano ou mesmo separar uma parte para pagar matrícula dos filhos, IPTU ou IPVA, por exemplo.

  1. Compre à vista no Natal

Como falamos no começo, dezembro está pertinho e, com ele, o Natal e as festas de fim de ano. Para evitar preocupações e, claro, dívidas, procure antecipar as compras de Natal, amigo secreto e outras festividades. Quem deixa para a última hora corre o risco de pagar mais caro nas lojas.

Desde já, faça pesquisas dos itens que pretende comprar para o Natal, por exemplo. Uma boa dica é fazer uma lista dos possíveis presentes e o valor que você está disposto a gastar, mas dentro do orçamento.


Cuidado para não se empolgar nas compras de Natal.
 

Quem vai viajar no fim do ano ou mesmo no início de 2019 precisa se planejar, caso ainda não tenha feito isso. A indicação é pagar o máximo que puder da viagem com antecedência, por exemplo, passagem aérea ou de ônibus, hospedagem etc. Mais uma vez vale a pena montar uma listinha para gastos com a viagem (antes, durante e depois), incluindo transporte, alimentação, lazer, presentes que deseja trazer para família e amigos. Faça uma estimativa desses gastos e procure seguir ao longo da viagem. Parece chato, mas evita começar um novo ano com dívidas.

LEIA MAIS

Planeje seu ano novo.

4 dias para driblar o impulso de comprar.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários, não expressando, assim, a opinião do Como Investir. Para mais informações, consulte os Termos e Condições de Uso.