ACESSAR MEU PERFIL
CLIQUE AQUI PARA SE CADASTRAR ENTRAR COM FACEBOOK

Solicitar uma nova senha

Conquistar a tranquilidade financeira não é uma aventura dos quadrinhos, mas é cheia de vilões, como os excessos de consumos que só são percebidos depois que as contas da casa chegam no final do mês. Para não precisar lidar com essa situação e vencer esse embate, fique com a gente!

Na prática, nem sempre as pessoas tomam as atitudes que realmente podem promover economias por acreditar que seus efeitos serão muito pequenos, sabia? Então, é hora de mudar essa percepção, pois, da mesma forma que não é preciso ter capa para ser considerado um herói, também não é necessário economizar muitas cifras para ter um custo mensal mais enxuto. Confira 15 dicas para poupar mensalmente.

1. Tenha atenção às luzes acessas e aparelhos em stand-by

O uso das luzes artificiais só deve ser iniciado quando a luz natural do ambiente não for suficiente. Para estudar, por exemplo, é aconselhável que o quarto ou a sala estejam bem iluminados, mas, para uma conversa entre amigos, a claridade do dia é mais agradável e econômica.

Elas também devem ser apagadas sempre que as pessoas forem deixar o ambiente, o que vale também para o desligamento de aparelhos que não serão mais utilizados naquele momento, como televisores, iPads, computadores etc.

Os monitores gastam muita energia, inclusive no modo stand-by. Por isso, ao final de sua utilização, desligue completamente os aparelhos, inclusive nas tomadas.

2. Considere reduzir planos de TV a cabo e telefonia

Ofertas de combo também são muito atrativas, mas, em vez de promoverem economias, fazem com que os consumidores comprem serviços além do que eles, de fato, utilizam.

Combos de TV a cabo e telefonia celular, por exemplo, podem ser enxugados e chegarem no perfil e necessidade de uso dos consumidores por um preço muito menor.

3. Verifique torneiras e canos com vazamento

Vazamentos são como aqueles personagens malvados que só se revelam no final da história, quando a conta de água chega com um consumo muito além do normal, não é mesmo?

Se você fizer uma análise histórica, verá que o aumento foi gradativo nos meses anteriores. Sabe qual a razão? É porque quando as pessoas se deparam com poucas gotas escorrendo pelo ralo, não se dão conta de que, acumuladas, representam baldes diários de água jogadas fora e sem nenhuma utilidade.

4. Escolha lâmpadas de LED ou fluorescentes

Lâmpadas incandescentes gastam muito mais energia e têm o tempo de vida muito mais reduzido, ou seja, é preciso realizar a troca regularmente.

A lâmpada de LED proporciona até 80% de economia no consumo energético porque foi desenvolvida com um diodo emissor de direção única. Assim, quando conectada a corrente elétrica, a condução é feita apenas de um lado até o outro.

No caso da lâmpada convencional, a incandescente, a iluminação é produzida pelo efeito Joule. Nele, a eletricidade passa por um filamento que é aquecido, e, desse processo, ocorre a emissão de luz.

É bom lembrar também que, as lâmpadas de LED não são produzidas com materiais pesados, como o mercúrio que pode ser prejudicial para a saúde das pessoas e meio ambiente, e também que elas não esquentam, o que diminui a necessidade de usar outros aparelhos para resfriar o ambiente. Mais uma economia para a conta no final do mês.

5. Use carregadores originais para seus equipamentos

As tecnologias atuais asseguram que o envio de energia seja interrompido quando um aparelho estiver com sua bateria 100% carregada, como é o caso dos notebooks.

Porém, essa garantia pode não valer caso o usuário esteja usando um carregador alternativo, que não seja original da fabricante. Nesses casos, a recarga poderá ser comprometida, aumentando o número de vezes em que a ação deve ser repetida e, portanto, diminuindo o tempo de vida do notebook.

6. Leve almoço de casa

Para quem lembra, era o espinafre que o Popeye levava de casa que o fortalecia, certo? Aqui, o tempero caseiro e melhores escolhas alimentares não só ajudam na sua saúde, como também, a fazer uma boa economia para seu bolso.

Por isso, evite almoçar fora nos intervalos do trabalho e leve almoço e pequenos lanches de casa, afinal de contas, o valor dos alimentos no supermercado e in natura são mais baixos do que no restaurante ou lanchonete, que precisam incluir seus lucros no preço final de seus produtos.

7. Evite o supermercado na hora da fome

Uma visita ao supermercado precisa ser planejada, inclusive, para evitar a hora em que você estiver com fome, querendo comprar tudo que estiver na sua frente ou com o senso de urgência elevado que não permitirá que escolhas racionais sejam feitas.

Para começar, planeje o que será comprado de acordo com o consumo da próxima semana. Prefira frutas sazonais, que tendem a ser mais baratas, e, claro, mantenha a atenção nas promoções e estratégias de marketing para estimular suas compras.

Os corredores dos supermercados costumam ser planejados como o caminho mais longo e tortuoso até a casa da vovó para que o lobo, ou melhor, as ofertas, possam roubar sua atenção até o fim das compras. Por isso, mantenha seu foco e vá direto ao ponto.

8. Faça um controle financeiro

Usando as dicas desse post, é provável que suas economias gerem resultados, e, aos poucos, sobre mais dinheiro na sua conta. Para não cair em uma tentação como fez a Branca de Neve com a maça envenenada da bruxa nos contos de fadas, prefira fazer um controle financeiro detalhado.

Isso ajudará a não fazer novas despesas com a folga financeira, e sim, definir como será o provisionamento daquele recurso para investimentos de curto e longo prazo.

9. Considere colocar as contas da casa em débito automático

Se você esquece, regularmente, de pagar suas contas antes do vencimento, a ativação do débito em conta corrente pode evitar o pagamento de multas e juros de atraso.

Uma alternativa é colocar um alarme no seu celular para que ele lembre a data de pagamento. Seja qual for a sua opção, não atrase os pagamentos de suas contas da casa para não gerar despesas com juros e multas, que, aliás, costumam ser altos.

10. Prefira poupar para depois fazer suas compras

Em vez de usar linhas de créditos, prefira adotar hábitos para economizar e poupar. Depois, faça suas aquisições mais confortavelmente. Existem diferentes tipos de investimentos que podem remunerar seus recursos e acelerar o acúmulo do dinheiro necessário para a compra desejada.

O mestre Yoda certamente lembraria que cartões ou linhas de crédito, até mesmo aquelas consignadas, têm taxas de juros do contrato ou rotativo que vão aumentar o valor da parcela paga. Ou seja, é uma despesa que pode ser cortada se você fizer o planejamento certo.

11. Use aplicativos de controle financeiro

Se todo esse controle parece difícil de ser realizado, alguns aplicativos podem ser utilizados para mapear seus gastos e mostrar em quais segmentos suas despesas estão mais concentradas.

Eles podem ser, inclusive, diretamente conectados à sua conta bancária e acompanharem as entradas e saídas em tempo real. Fazendo essas economias, não é preciso esperar o final da história para ser feliz. Aliás, a tranquilidade financeira, quando conquistada, permite que você possa traçar planos de crescimento patrimonial, capacitação profissional, investimento no conforto da família e muito mais.

Conhece alguns amigos e familiares que também precisam controlar as contas da casa e viverem felizes para sempre? Então, compartilhe essas dicas em suas redes sociais e não deixe de marcá-los nos comentários.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários, não expressando, assim, a opinião do Como Investir. Para mais informações, consulte os Termos e Condições de Uso.